Apologética – Notícias – Mundo Cristão – Sociedade

Arquivo para a categoria ‘Alerta’

Onde está a igreja?

Graça e Paz

Leiam o artigo Onde está a igreja que promove o reino com atitudes? no blog Púlpito Cristão.

Sem dúvida um alerta para a atuação “incipiente” e “insipiente” da igreja na área social.

Soli Deo Glória

Está Insuportável

Graça e Paz

Estou retornando a escrever após um longo período de recesso.

Para iniciar essa nova fase, segue um texto parcial e o link do texto original do Rev. Caio Fábio.

Odiado por muitos, rejeitado por outros, mas ainda cativo a Verdade do Evangelho de Cristo.

Nunca deixei de admirar esse homem de  Deus, a despeito de seus erros, afinal quem não os tem? Quem diz que não comete-os peca, e por vezes está apenas varrendo-os para debaixo do tapete, onde não podemos ver, mas Deus tudo vê.

Em “PERDOEM-ME O DESGOSTO! …ESTÁ INSUPORTÁVEL!” ele nos brinda com mais um de seus belos e especiais textos. Leia aqui , medite, e ouça o que o espírito diz a “igreja”

É insuportável ver seres humanos sendo jogados fora do lugar de culto por causa de comida, bebida, cigarro, roupa, sexualidade, ou catástrofes de existência. Isto enquanto se alimenta o povo com maldade, inveja, mentira, politicagem, facções, e maldições. Insuportável é coar o mosquito e engolir o camelo!

Em Cristo

Soli Deo Glória

A FALÁCIA DO ARGUMENTO DA INTOLERÂNCIA

intolerancia

TEXTO PUBLICADO ORIGINALMENTE NO BLOG DO PASTOR ALTAIR GERMANO

Você sabe o que significa INTOLERÂNCIA? É com esse termo que constantemente, o movimento pró-homossexualismo vem atacando a Igreja Cristã.

Moreland e Craig (Filosofia e Cosmovisão Cristã, Vida Nova, 2005, p. 509 e 510), formularam um conceito bastante elucidativo sobre o princípio da tolerância.

Segundo eles, há um sentido clássico do princípio de tolerância:

“onde uma pessoa declara que seu conceito moral é verdadeiro e o de seus oponentes falso. Ainda assim, essa pessoa respeita os oponentes como pessoas e seus direitos de defender seus pontos de vista. Desse modo, a pessoa tem a tarefa de tolerar um conceito moral diferente, não no sentido de achar que seja moralmente correto, mas ao contrário, no sentido de continuar a valorizar e respeitar seu oponente, tratá-lo com dignidade, reconhecer seu direito de argumentar e de propagar suas idéias.”

É exatamente este o posicionamento da Igreja Cristã. Respeitamos e valorizamos a pessoa do homossexual. Não estamos questionando os seus direitos de argumentar e propagar suas idéias. Simplesmente não aceitamos suas idéias, pois as mesmas não podem ser concebidas como verdade e princípio moral à luz da Bíblia Sagrada. Nenhum cristão, desde que isento do entorpecimento intelectual e moral do “relativismos” da pós-modernidade, aceitará o homossexualismo como algo natural e aprovado por Deus.

Em se tratando do sentido moderno de tolerância, Moreland e Craig nos trazem a seguinte conceituação:

“Uma pessoa não deve nem mesmo julgar os pontos de vista de outra pessoa errados.”
O movimento pró-homossexualismo se enquadra exatamente aqui. É fundamentado no sentido moderno de tolerância, sentido este nascido da mentalidade relativista pós-moderna, que acusa a igreja de intolerante. Ao adotar este posicionamento, acaba assumindo uma postura profundamente arbitrária. Deseja impor a todo custo uma “ditadura de idéias”, não admitindo nenhuma contestação ou divergência.

Não só a Bíblia Sagrada é dessa forma desrespeitada, como também, a própria Constituição da República Federativa do Brasil em seu Art. 5º. Parágrafo IV que determina:

“é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;”

O Movimento pró-homossexualismo não deseja apenas que mudemos de idéia, deseja acima de tudo calar a nossa boca, para isto, tenta se instrumentalizar do sistema legal para atingir os seus objetivos. Como? Pressionando o poder legislativo para alterar as leis em vigor.

A Ditadura Gay

proibido

Graça e Paz

Graças ao PT a agenda para garantir a instauração da Ditadura Gay e do Assassinato de Inocentes (aborto) está a pleno vapor.

Se não tomarmos medidas agora, poderemos ser presos se expressarmos nossa desaprovação ao homossexualismo.

Com essa lei, será criada uma nova categoria de pessoas, que terão direitos exclusivos, além de qualquer outro grupo.

Veja abaixo duas matérias sobre o assunto.

Jornal do Comércio – Homofobia ou Ditadura Gay

Missão Portas Abertas – Liberdade Religiosa em Risco no Brasil

Soli Deo Glória

Enfoque Gospel – Querem Nos Calar

Querem nos Calar

Graça e Paz

Na última edição da revista Enfoque Gospel, foi publicada a matéria Querem Nos Calar que trata do movimento em torno da aprovação das leis “Anti-Homofobia”, que visam tão somente cercear a liberdade de expressão, daqueles que são contra a homossexualidade, independentes de serem religiosos ou não.

Vale a pena conferir.

Soli Deo Glória.

Lei da Semeadura

fé demais não cheira bem

Graça e Paz.

Mais uma vez estava eu a “zapear” entre os canais de TV, quando me deparei com um certo apóstolo em mais um de seus programas sobre bençãos e milagres e afins.

Querendo justificar que o Evangelho de Cristo é um evangelho de prosperidade, ele leu a passagem de Gálatas 6 sobre a lei da semeadura.

Já ouvi diversas vezes alguém pregar sobre a lei da semeadura. É claro que sempre com o final apontando para a prosperidade. De carnês a contribuíções “sacrificiais” sempre deixa-se claro que no final, pode-se “exigir” que Deus cumpra o que está na sua Palavra: “também colherá“.

É claro que a lei da semeadura tem o lado de receber a benção do Senhor, mas como uma dádiva, não como um fim em si ou como se fosse uma “aplicação a curto prazo“. Já ouvi certa pregadora dizer que não se deve dar o dízimo do que se ganha, mas do que se deseja ganhar. Outro afirma que ofertar por amor é coisa de trouxa.

Vamos analisar o texto em apreço e extrair dele o real sentido da lei da semeadura:

Gálatas 6:7-10

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.

1) Sim, é verdade, o que o homem semear, também colherá. Se for amor, amor. Se for o bem, bem. Se for dinheiro, dinheiro (mas descompromissado com o retorno).

2) O que semeia na carne, colherá corrupção. Aqui vemos claramente que semear na carne, tanto pode se referir ao pecado quanto a ofertar com o único interesse de se receber em dobro, triplo ou cem vezes tanto. Aquele que semeia com segundas intenções está semeando na carne e colherá apenas corrupção.

3) O que semeia no espírito, colherá a vida eterna. Gloriosa promessa para aqueles que semeiam sem segundas intenções, pois a principal intenção é que a obra de Deus tenha recursos para alcançar as almas perdidas.

4) Os que semeiam “o bem” sem se cansar, também ceifarão. Não necessariamente “dinheiro”. Quantos pregadores já falaram da lei da semeadura pela perspectiva do serviço cristão e do amor ao próximo?

5) Fazer o bem a todos e principalmente aos domésticos da fé. Como é difícil em algumas igrejas os irmãos necessitados serem supridos em suas necessidades, principalmente pela “casa do tesouro“.

Analisemos agora dois textos dos evangelhos:

Mateus 19:28-29

E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.

Marcos 10:28-30

E Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos, e te seguimos. E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna.

Amados, aqui temos a promessa do próprio Senhor Jesus de receber cem vezes tanto nesta vida e por fim a vida eterna. Mas em nenhum momento vejo-o referindo-se a dinheiro e sim a deixar tudo por amor a ele. Esse deixar tudo refere-se a rendição ao Senhor, ao serviço do Senhor, a sofrer pelo Senhor (perseguições).

Vemos nestes textos que os discípulos esperavam alguma compensação pelo fato de terem deixado tudo (tudo?) para seguir a Jesus. Mas a verdadeira recompensa vai muito além de “cem vezes tanto“. A verdadeira e duradoura recompensa é a vida eterna. Muitos tem esquecido da mesma, querendo viver no paraíso aqui na terra.

Quando você for semear, semeie no espírito, semeie no amor, semeia no serviço. E semeie suas ofertas e dízimos para manter a obra de Deus, sem esperar receber em dobro, e não se preocupe se chamarem você de trouxa, pois para Deus você é um filho amado.

Soli Deo Glória.

A Voz do Povo (de Deus, Não) é a Voz de Deus

Postado originalmente em comfesembobagem.blogspot.com

sapatos de palhaco 2

Uma reflexão sobre politicagem, acordos de bastidores, falta de amor, soberba, arrogância, inveja, desmandos e tantas outras coisas que depreciam o sentido real de ser cristão. E muitas vezes vemos isso bem pertinho de nós.

Pergunto: Se ser cristão é ser “seguidor de Cristo”, talvez Cristo esteja a perguntar nas entrelinhas:

“Vocês realmente acham que estão me seguindo? Lembrem-se do que já vos tenho dito. Naquele dia muitos me chamarão de Senhor e apresentarão obras grandiosas, mas Eu os rejeitarei, pois jamais os conheci e muito menos eles a mim”.

Vivemos dias que em que é mais importante a “posição de liderança” do que “servir o reino”. Muitos estão ludibriados com o poder temporal, como vemos no caso de Diotéfres (3 Jo v9-10), e deixam de ser exemplos de servos de Deus como Gaio e Demétrio (3 Jo v5, 11).

A política tem entrado na igreja, não como uma via da Igreja agir nas esferas legislativas, mas como forma de poder, e muitas vezes esse poder é usado de formas ilícitas, haja vista os escândalos da chamada “bancada evangélica” do Congresso Nacional. Em época de eleições somos visitados por nossos “irmãos candidatos”, que tomam posse do púlpito para falar de seus projetos, projetos estes, que depois não se concretizam quando os mesmos são elegidos.

Claro que há os que realmente são comprometidos com o reino de Deus, e que lutam de forma a entregar à comunidade (e não exclusivamente aos domésticos da fé) o cumprimento das obrigações de governo.

Saindo da área da política, voltamos ainda ao exemplo de Diotréfes, ao qual o apóstolo João acusa de gostar de exercer a primazia, ou seja, gostava de mandar, de ser o chefe.

Não há muita diferença entre Diotréfes e os déspotas que hoje se assenhoreiam de igrejas, departamentos e mandam, desmandam e ainda castigam os que de bom grado são servos do reino. Acordos são feitos nos bastidores, mentiras são propagadas como verdades e o povo é enganado. Pelo menos os mais simplices, pois muitos estão de olho, em cada passo dado por estes “cristãos de meia pataca” e chegará o dia que tudo o que estiver encoberto será revelado.

Some-se a isso a soberba, a arrogância, a falta de amor, a inveja e todos os adjetivos pejorativos tão magistralmente praticados por estas pessoas.

Disse-nos Jesus

“Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me.” Lc 9:23

“Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará.” Jo 12:26

Se o filho do homem veio para servir e não para ser servido, como os cristãos (se é que são) podem dizer-se seguidores de Cristo e não praticarem as mesmas obras que Ele?

Não bastasse a decepção com as tantas esferas de nosso mundo, estamos nos decepcionando cada vez mais com a igreja, não a igreja invisível e eterna, mas com a igreja instituição, de quatro paredes e teto.

Hoje, muitos cristãos deixaram de ser luz do mundo e sal da terra para ser lâmpadas postas debaixo da cama e sal insípido.

Fica aqui a frase, muito oportuna, de Charles Spurgeon:

“Se não tivermos o Espírito de Deus, será melhor que fechemos as igrejas, que aferrolhemos suas portas e preguemos nelas cruzes negras com os dizeres: Que Deus tenha misericórdia de nós!”

Estamos de olho !!

Soli Deo Glória !!