Apologética – Notícias – Mundo Cristão – Sociedade

Arquivo para a categoria ‘Hermenêutica’

Lei da Semeadura

fé demais não cheira bem

Graça e Paz.

Mais uma vez estava eu a “zapear” entre os canais de TV, quando me deparei com um certo apóstolo em mais um de seus programas sobre bençãos e milagres e afins.

Querendo justificar que o Evangelho de Cristo é um evangelho de prosperidade, ele leu a passagem de Gálatas 6 sobre a lei da semeadura.

Já ouvi diversas vezes alguém pregar sobre a lei da semeadura. É claro que sempre com o final apontando para a prosperidade. De carnês a contribuíções “sacrificiais” sempre deixa-se claro que no final, pode-se “exigir” que Deus cumpra o que está na sua Palavra: “também colherá“.

É claro que a lei da semeadura tem o lado de receber a benção do Senhor, mas como uma dádiva, não como um fim em si ou como se fosse uma “aplicação a curto prazo“. Já ouvi certa pregadora dizer que não se deve dar o dízimo do que se ganha, mas do que se deseja ganhar. Outro afirma que ofertar por amor é coisa de trouxa.

Vamos analisar o texto em apreço e extrair dele o real sentido da lei da semeadura:

Gálatas 6:7-10

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.

1) Sim, é verdade, o que o homem semear, também colherá. Se for amor, amor. Se for o bem, bem. Se for dinheiro, dinheiro (mas descompromissado com o retorno).

2) O que semeia na carne, colherá corrupção. Aqui vemos claramente que semear na carne, tanto pode se referir ao pecado quanto a ofertar com o único interesse de se receber em dobro, triplo ou cem vezes tanto. Aquele que semeia com segundas intenções está semeando na carne e colherá apenas corrupção.

3) O que semeia no espírito, colherá a vida eterna. Gloriosa promessa para aqueles que semeiam sem segundas intenções, pois a principal intenção é que a obra de Deus tenha recursos para alcançar as almas perdidas.

4) Os que semeiam “o bem” sem se cansar, também ceifarão. Não necessariamente “dinheiro”. Quantos pregadores já falaram da lei da semeadura pela perspectiva do serviço cristão e do amor ao próximo?

5) Fazer o bem a todos e principalmente aos domésticos da fé. Como é difícil em algumas igrejas os irmãos necessitados serem supridos em suas necessidades, principalmente pela “casa do tesouro“.

Analisemos agora dois textos dos evangelhos:

Mateus 19:28-29

E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.

Marcos 10:28-30

E Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos, e te seguimos. E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna.

Amados, aqui temos a promessa do próprio Senhor Jesus de receber cem vezes tanto nesta vida e por fim a vida eterna. Mas em nenhum momento vejo-o referindo-se a dinheiro e sim a deixar tudo por amor a ele. Esse deixar tudo refere-se a rendição ao Senhor, ao serviço do Senhor, a sofrer pelo Senhor (perseguições).

Vemos nestes textos que os discípulos esperavam alguma compensação pelo fato de terem deixado tudo (tudo?) para seguir a Jesus. Mas a verdadeira recompensa vai muito além de “cem vezes tanto“. A verdadeira e duradoura recompensa é a vida eterna. Muitos tem esquecido da mesma, querendo viver no paraíso aqui na terra.

Quando você for semear, semeie no espírito, semeie no amor, semeia no serviço. E semeie suas ofertas e dízimos para manter a obra de Deus, sem esperar receber em dobro, e não se preocupe se chamarem você de trouxa, pois para Deus você é um filho amado.

Soli Deo Glória.

Anúncios